Até que ponto devo suportar o descaso, mendigar atenção, suplicar por afeto?
Por que meus ombros sempre estão à disposição quando minha cabeça sempre está pendurada?
Não quero compaixão, não quero favor, não quero o verbo dever.
Só o que preciso de são de ouvidos que ouçam minhas lamúrias, mãos que sequem minhas lágrimas, abraços que me confortem e palavras que me deem esperança.
Não quero apenas um pilar para me apoiar, mas sim  um porto seguro para estar.

fenix-f