Em um mar violento, de grandes ondas de maus pensamentos, vago a tempos. Sem rumo, sem direção, sem remo.
Um barco sem leme, um velejante sem bússola, uma vela sem timão. Apenas o que restou foi a âncora, que me puxa  cada vez mais fundo nessa imensidão.

As fraquezas ficam tão evidentes, os medos tão reais e a realidade cada vez mais miserável. Estou afundando e sem saber nadar, me deixo levar.
O fundo é escuro, gelado e solitário, mas eu reclamo pois não é diferente do  lugar onde deveria estar.

fenix-f