Era Janeiro, noite quente de verão. O gelo derretia no copo, os sorrisos amarelos camuflavam o caos da relação, meu olhar se perdia em meio à multidão.

Tudo o que eu queria era saber o que era ser amada e para isso me deixei ser vendida e barganhada. Mas meu amor por ele estava quebrado, ele faliu, na verdade jamais existiu.
Paguei caro o preço, meu corpo pertencia a ele, estava preso ao corpo dele, mas meu coração estava livre. Tão livre quanto um beija flor em busca da mais linda e doce flor.

Foi nesse voo que meu olhar encontrou o seu, um completo estranho, mas mesmo sem saber sequer seu nome já sabia que seria meu.
O tempo congelou naquele momento, as únicas pessoas eram Você e Eu. Dois seres milimetricamente compatíveis, de corpo, alma e mente, destinados a viverem juntos a eternidade dos séculos.

Assim como o gelo do copo, o do tempo também derreteu, não éramos mais somente você e eu. Agora éramos você, ele e eu.
Dois destinos aguardando a sentença do meu sim ou do meu não. Tudo o que queria era ser feliz sem barreiras, viver uma felicidade verdadeira, amar e ser amada em retribuição.
Bati asas e escolhi você, meu outro eu, finalmente Meu.

fenix-f